segunda-feira, novembro 21, 2005

Até que ponto a ciência pode ultrapassar os limites da ética?


“…A ciência, ela própria, também ajuda à resolução de problemas. Sigamos
o mesmo exemplo da clonagem. Se definirmos que um embrião humano é um ser humano a partir do momento em que o sistema nervoso está formado, então já
posso matar as minhas células do corpo sem problemas éticos: apesar de,
potencialmente serem seres humanos, ainda não o são pois não há sistema
nervoso! Mas se dissermos que a partir do momento em que um óvulo e um
espermatozóide humanos se encontram uma Alma se forma e é atribuída a esse
embrião, conforme defende a Igreja Católica, já o problema se mantém pois
as questões espirituais (Alma, Deus, etc.) estão, (quase por definição) fora
do âmbito das ciências positivas (Biologia, Química, Matemática e Física) …”

In: http://www.consultorioct.mct.pt/?&accao=resposta&questao=716&id_tema=132

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home